Em destaque

Projeto 5: Geledés- a voz das mina!

Questão Orientadora

Que reflexões o feminismo negro e a poesia slam nos oferecem para trilhar novos caminhos civilizatórios ?

Descrição do Projeto

A partir do aprofundamento no gênero poético “slam” e da leitura da obra “O feminismo é para todo mundo— políticas arrebatadoras” de bell hooks, os alunos são convidados a apresentar vivências de mulheres negras e indígenas do passado e do presente e da importância da autonomia feminina negra para o salto civilizatório.

Produtos educativos

Perfomances de poesia no gênero slam.

Foto de Capa: Saulo de Sousa

O trabalho Site Pluriverso: Estratégia de Ensino de Augusto Rodrigues de Sousa e Lediane Fani Felzke (org.) está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Em destaque

Projeto 3: Afrofuturo- Projetar (se) um outro mundo possível

Questão Orientadora

Que espaço terão os “subalternos” daqui a 100 anos? Como podemos pensar um futuro pluralista e livre do racismo?

Descrição do Projeto

A partir do filme “Pantera Negra” e da leitura do primeiro volume da dualogia Brasil2408, (In) Verdades, de Lu Ain-Zala, os alunos refletirão as que perspectivas de futuro podemos almejar para que possamos construir uma sociedade plural, integradora e que tenha superado o racismo. Ao mesmo tempo, os alunos podem questionar que espaços os “subalternos” de hoje terão no mundo daqui a 100 anos. A partir dessas reflexões os alunos produzirão um projeto de cidade afrofuturista a ser apresentado numa feira sobre cidades do futuro.

Produtos educativos

Os alunos produzirão coletivamente um projeto de cidade afrofuturista (banner, maquete, apresentação, blog) a ser apresentado numa feira intitulada: Cidades do Futuro, Utopia e Bem Viver.

Foto de Capa: Saulo de Sousa

O trabalho Site Pluriverso: Estratégia de Ensino de Augusto Rodrigues de Sousa e Lediane Fani Felzke (org.) está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Em destaque

Projeto 1: Caçador de Mim- Escrevendo a própria história

Questão Orientadora

Quem sou eu e qual é a minha história?

Descrição do Projeto

A partir da leitura da obra “Eu sei por que o pássaro canta na gaiola”, autobiografia de Maya Angelou, os alunos vivenciarão um processo de compreensão do gênero autobiográfico e serão convidados a refletir sobre a própria personalidade e história pessoal, inseridas no contexto familiar, social e político através da escrita de suas próprias autobiografias.

Produtos educativos

Os alunos escreverão uma breve autobiografia considerando as dimensões estudadas no decorrer do projeto. Como trabalhamos em grupo, cada grupo reunirá as autobiografias em um único livro (cada autobiografia pode ser um capítulo). No fim do projeto haverá um sarau para a exposição da experiência de escrever as autobiografias.

Foto de Capa: Saulo de Sousa

O trabalho Site Pluriverso: Estratégia de Ensino de Augusto Rodrigues de Sousa e Lediane Fani Felzke (org.) está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Galeria de Imagens de pensadoras e pensadores

Disponibilizamos a seguir uma coletânea de imagens das pensadoras e pensadores a partir dos quais elaboramos os projetos de aplicação da Estratégia Pluriverso.

Ao propor uma estratégia de ensino antirracista buscamos romper com a prática do epistemicídio hegemônico, que se realiza através da invisibilização de conhecimentos e pessoas negras e indígenas do espaço de produção do conhecimento. A imagens e fotografias sejam, desse modo, um caminho de visibilidade.

Estratégias de Ensino para Rodas de Conversa

Um dos pontos centrais da Estratégia Pluriverso consiste na possibilidade dos alunos dialogarem ativamente acerca dos temas tratados, rompendo o esquema tradicional do professor-orador-aluno-ouvinte. Rodas de conversa, quando baseadas em ricas experiências de leitura e pesquisa, são estratégias de ensino com grande potencial para desenvolver a criticidade, a capacidade do diálogo, da escuta e da construção colaborativa do conhecimento.

Bola de Neve

As “bolas de neve” começam pequenas e, pouco a pouco, aumentam de tamanho conforme rolam por alguma superfície. Nessa estratégia de ensino, a reflexão começa individualmente e gradualmente vai sendo partilhada entre todos.

Monastério

A estratégia “Monastério” usa o silêncio e a escrita como ferramentas para ajudar os alunos a explorar um tema em profundidade. Nela, os alunos escrevem suas respostas a um estímulo colado no centro de uma grande folha de papel. Ao escrever, o aluno pode pensar com mais calma e precisão, e a leitura da opinião dos colegas lhe oferece a oportunidade de se concentrar nas opiniões dos outros. 

Conselho da Cidade

A estratégia de ensino “Conselho da Cidade” imita o processo de uma reunião de conselhos, na qual os membros da comunidade tomam a palavra para compartilhar sua perspectiva sobre um tópico de preocupação. Usando esse formato, os alunos têm a oportunidade de se confrontar com diferentes perspectivas acerca do tema e, ao assumir inclusive uma postura que não é naturalmente sua, aprender a dar ouvidos ao outro e perceber que nossas percepções são sempre limitadas a uma perspectiva que não oferece a totalidade da verdade.

Aquário

A estratégia “Aquário” é bastante conhecida pelos educadores que promovem as metodologias ativas em sala de aula. Ela pode ser uma oportunidade de exercício de pluriversalidade por associar o exercício da fala e da escuta ativas.

Citação e Argumentação

A estratégia “Citação e Argumentação” ajuda os todos os alunos a participar da conversa como ouvintes e oradores ativos. Trabalhando em trios, os alunos compartilham e discutem suas impressões acerca de um texto, imagem ou filme. Como a estratégia oferece uma estrutura explícita para a discussão, incentiva os alunos mais tímidos a compartilhar suas ideias e garante que os alunos mais falantes escutem em silêncio.

Estratégias de Ensino para a construção do conhecimento

A proposta da Estratégia Pluriverso se enquadra nos modelos pedagógicos de construção ativa do conhecimento por parte dos alunos e da construção de comunidades educativas engajadas e significativas. As estratégias de construção do conhecimento são propostas adaptáveis de técnicas para estimular o trabalho colaborativo.

Rotação por Estações

A estratégia consiste em criar diferentes ambientes de trabalho em sala de aula e dividir os alunos em grupos para que realizem as atividades em cada uma das “estações”.

Gráficos de Identidade

Gráficos de Identidade são uma adaptação dos mapas mentais para a visão geral da própria personalidade ou de algum importante personagem histórico ou literário.

Carrossel

A circularidade é um valor afrodiaspórico que remete à comunidade, ao círculo, à roda de samba e de capoeira, à participação e inclusão de todos. Na estratégia Carrossel propõe-se uma construção coletiva do conhecimento a partir da rotação de cartazes construídos coletivamente.

Mapa Falado

Há uma relação muito profunda entre as territorialidades e construção ou percepção de “identidades” grupais e subjetivas. Pertencer a um lugar ou, mais ainda, ser parte do grupo que tem um espaço geográfico como seu é um modo de perceber a si mesmo como ser no mundo. A estratégia do mapa falado é uma ferramenta para expressar o conhecimento e as percepções do grupo acerca do território e das pessoas que nele vivem, suas experiências e vivências.

Cinefórum

Sem dúvidas o cinema tem um potencial educativo extraordinário ao agregar conteúdo, imagens, sons, trilhas sonoras. A partir de um filme pode-se despertar a pessoa para diversas temáticas e aproximar os diferentes tipos de saberes com a vida concreta. A proposta do Cine-Fórum consiste basicamente em realizar a exibição de um filme, seguida de propostas de reflexão a partir de suas implicações. O roteiro que propomos é baseado numa proposta de cine-fórum com roda de conversa para alunos do ensino básico.

Infográficos

Infográfico é uma espécie de gráfico ou peça visual muito utilizada em livros e revistas para apresentar informações e dados de maneira facilitada, o que ajuda na compreensão do leitor mesmo quando o conteúdo tem maior complexidade. Costuma incluir textos e imagens na sua elaboração, como ilustrações, gráficos e ícones. O processo de construção de um infográfico pode ser um auxílio poderoso nos processos de aprendizagem pois favorece que o aluno sintetize uma informação e a ilustre com diferentes linguagens.

Tabela Conceitual

Uma tabela conceitual é um auxílio para que os alunos aprofundem a compreensão de conceitos científicos complexos através da associação do contexto a imagens e situações concretas do cotidiano.

SIC (Surpresa, Inquietação e Curiosidade)

Uma atividade baseada na estratégia do SIC possibilita uma expressão rápida e direta sobre o envolvimento dos alunos com um texto, imagem ou vídeo. Nesta atividade, os alunos identificam que elementos lhes parecem surpreendentes, inquietantes ou que geram curiosidade de ler mais sobre o assunto. Fazer com que os alunos concluam uma atividade SIC pode ser uma maneira eficaz de ajudá-los a se preparar para uma discussão em classe na qual todos tenham algo com que contribuir. 

Estratégias de Ensino para Começo de Conversa

Existem diferentes modos de começar uma conversa. Aqui elencamos algumas estratégias de ensino que podem ser utilizadas para dar início a um tema de modo que sejam considerados a participação, o conhecimento prévio e a vida cotidiana dos alunos.

Sei- Acho que Sei- Quero Saber

A técnica Sei-Acho que Sei- Quero Saber, é uma adaptação brasileira à técnica KWL (Know-Want Know- Learn) no qual os alunos, a partir da experiencia vivenciada no evento de abertura, identificam os próprios conhecimentos prévios acerca do tema e quais conhecimentos precisam aprender para realizar a apresentação dos produtos finais.

Apresentando um novo livro

Os alunos são convidados a saborear o contato com um novo livro e compartilhar previsões, expectativas e perguntas sobre ele, antes de começarem a leitura efetivamente. Ainda que os alunos tenham acesso a uma versão digital, gastar algum tempo contemplando a capa e realizando uma leitura rápida dos conteúdos do livro são um modo eficaz de despertar o interesse para a leitura, esclarecer contextos e gerar uma experiência o mais positiva possível com a literatura abordada.

Estratégias para tomada de decisões

A Estratégia Pluriverso foi construída de modo a valorizar a participação ativa e democrática dos alunos no processo de ensino-aprendizagem. Por isso, as estratégias a seguir são caminhos possíveis com que podemos envolver os alunos nos processos de tomada de decisão, desenvolvendo assim a autonomia e sentido de pertença no processo educativo.

Adedonha de Ideias

Essa estratégia pretende envolver os alunos através de um “jogo” de brainstorm no qual as ideias devem ser descritas alfabeticamente. Pode ser utilizada para a ativação de conhecimentos prévios ou diagnóstico, brainstorming, organização de atividades e eventos ou revisão dos conteúdos abordados em determinada unidade.

Roleta de Ideias

A estratégia pretende ajudar os alunos é despertar a criatividade e encontrar soluções coletivamente para um problema/ desafio através da produção rápida e divertida de ideias em curto período de tempo.

Do Contra

Nem sempre ser “do contra” significa atrapalhar o caminho percorrido pelo grupo. Muitas vezes pensar de modo “invertido” ou pelo caminho contrário nos ajuda a encontrar respostas eficazes e inovadoras para os problemas e desafios do cotidiano. Essa é uma maneira de retirar o bloqueio da mente das pessoas, pois fazer o contrário do que se deve já é uma forma de transgressão que faz nosso cérebro trabalhar mais livremente.

Mapa Mental Coletivo

Suscitar e conectar ideias em grupo é uma ótima forma de elencar expectativas, diagnosticar conhecimentos prévios e encontrar soluções inovadoras.

Projeto 6: Ubuntu- Eu sou porque nós somos

Questão Orientadora

Que inspirações a ética Ubuntu pode nos oferecer para criar novas relações em nossa sociedade?

Descrição do Projeto

A partir dos curta metragens “5x Favela” e da leitura do romance “Fique Comigo” de Ayọ̀bámi Adébáyọ̀, os alunos são convidados a discutir diferentes paradigmas éticos e elaborar curtas metragens inspirados na leitura e nas rodas de conversa com as temáticas éticas discutidas.

Produtos educativos

Curta metragens com pequenas histórias com discussão sobre a temática da ética.

Foto de Capa: Saulo de Sousa

O trabalho Site Pluriverso: Estratégia de Ensino de Augusto Rodrigues de Sousa e Lediane Fani Felzke (org.) está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Projeto 4: Kemet- repensar a certidão de nascimento da filosofia

Questão Orientadora

O que o mundo precisa saber sobre o pensamento filosófico oriental, africano e ameríndio e como vamos contar essa história?

Descrição do Projeto

A partir da leitura de “O perigo de uma história única” de Chimamanda Ngozi Adichie, vamos problematizar a noção clássica da origem exclusivamente grega da filosofia e refletir a tese de que a filosofia é inerente ao pensamento humano. Os alunos serão convidados a pesquisar e tornar mais conhecidos pensadores africanos, orientais e ameríndios e suas implicações filosóficas.

Produtos educativos

Tabelas conceituais de leitura e linha do tempo que apresente a simultaneidade desses pensadores na Antiguidade.

Foto de Capa: Saulo de Sousa

O trabalho Site Pluriverso: Estratégia de Ensino de Augusto Rodrigues de Sousa e Lediane Fani Felzke (org.) está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Projeto 2: Caçador de Mim- Mapeando nossos lugares

Questão Orientadora

Quais são os “nossos lugares” enquanto jovens da classe trabalhadora?

Descrição do Projeto

A partir da leitura da obra “Quarto de Despejo- diário de uma favelada” de Carolina Maria de Jesus, os alunos refletirão acerca dos seus próprios “lugares de fala” e das territorialidades que ocupam. Do mesmo modo, refletirão sobre como essas territorialidades influenciam na constituição de suas identidades sócio-políticas no interior da coletividade.

Produtos educativos

Os alunos escreverão elaboração um “mapa” dos espaços juvenis da cidade. O mapa pode ser produzido através de recursos impressos (cartilhas, livretos) como digitais (Google Expeditions). O mapa deve contar com descrições mais profundas que a simples descrição dos locais, como quem é o público que mais frequenta, o que os frequentadores acham do espaço e como aquele espaço faz parte de suas vidas, etc.

Foto de Capa: Saulo de Sousa

O trabalho Site Pluriverso: Estratégia de Ensino de Augusto Rodrigues de Sousa e Lediane Fani Felzke (org.) está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.